Return to site

Não deixe as Lesões te deixarem para trás

Quer saber o que assusta os atletas de elite mais do que qualquer outra coisa? Lesões.

Porque os atletas sabem que, se quiserem ter o melhor desempenho, atingir níveis mais altos do que antes, eles não podem se dar ao luxo de deixar que os ferimentos os detenham. Se eles estão lesionados, não podem treinar, o que significa que eles não podem melhorar. Isso ficou claro em um estudo de 2016 publicado no Journal of Science and Medicine in Sport, onde os pesquisadores analisaram as taxas de lesões em esportistas de atletismo de alto nível durante um período de cinco temporadas.
O que eles descobriram foi que as chances de alcançar os objetivos desses atletas em cada temporada eram sete vezes maiores se eles conseguissem 80% ou mais do treinamento planejado. Para cada semana em que os atletas não conseguiam treinar adequadamente devido a lesões, suas chances de atingir seus objetivos foram significativamente reduzidas. É muito claro, então, que as lesões podem destruir nossos objetivos.

E se existisse um jeito melhor?

E se você pudesse conhecer seu risco de lesão genética antes de se machucar? Isso pode mudar tudo em seu treinamento. Em vez de adivinhar, ou esperar e se preocupar, você pode atacar proativamente suas áreas “em risco” por meio de pré-habilitação e treinamentos direcionados.
Isso porque pesquisas recentes identificaram alguns genes-chave associados a lesões. O primeiro gene no painel de lesão do DNAFit é o fator de diferenciação de crescimento-5, ou GDF-5. Cerca de um terço das pessoas tem o genótipo TT do GDF-5, o que poderia colocá-las em risco de sofrer lesões nos tendões e nos ligamentos. Isso foi visto em um estudo de 2010 com um grupo de pesquisadores da África do Sul, analisando as lesões do tendão de Aquiles (tendão calcâneo). Os cientistas analisaram pessoas com uma lesão nesse tendão e as compararam com pessoas sem ferimentos. O que eles descobriram foi surpreendente: pessoas com genótipo TT tiveram duas vezes mais chances de sofrer lesão no tendão de Aquiles do que aquelas com o genótipo CT ou CC.
O mesmo grupo de pesquisa também analisou dois outros genes, que constam em nosso painel, COL1A1 e COL5A1. Esses genes estão envolvidos na produção de elementos do colágeno tipo 1 e do tipo 5, que são componentes importantes de nossos ligamentos e tendões. Em 2009, esses pesquisadores analisaram os efeitos do gene COL1A1 nas lesões do ligamento cruzado anterior(LCA). O LCA é um ligamento que desempenha um papel crucial no suporte dos joelhos e é comumente lesionado pela torção do joelho. As lesões nesse ligamento são muito comuns, com mais de 100.000 ocorrendo por ano apenas nos EUA.

O que o estudo descobriu foi que indivíduos com o genótipo TT de COL1A1 eram muito menos propensos a sofrer uma lesão do LCA, ilustrando que este genótipo tem um “efeito protetor” contra esse tipo de lesão. Com COL5A1, os pesquisadores analisaram novamente as lesões do tendão de Aquiles, que é o tendão da parte inferior da panturrilha, responsável por mais de 230.000 feridos por ano nos EUA (66.000 ficando afastados dos esportes por mais de um mês). Neste estudo, os pesquisadores descobriram que aqueles com o genótipo CC de COL5A1 eram muito menos propensos a sofrer lesão no tendão de Aquiles, mostrando que o genótipo CC pode ter também seu efeito protetor. Isso significa que mais de 80% das pessoas, com o alelo T, têm um risco ligeiramente maior de lesões nos tendões e nos ligamentos e, portanto, devem ser proativas na redução desse risco.

TENHO MAIOR RISCO DE LESÃO. ISSO QUER DIZER QUE VOU ME MACHUCAR?

A resposta simples para isso é um sonoro "NÃO". Como em todos os resultados do DNAFit é importante observar que nossos genes são apenas 50% do quadro - o ambiente é a outra metade e também tem importância. O que estamos fazendo é a análise dos seus genes para verificar a probabilidade de eles exporem você a lesões, em seguida, capacitá-lo a ser proativo em abordagens que reduzam o risco de lesão.
Então, se você sabe que gasta muito tempo fazendo agachamentos para construir músculos da perna e também sabe que tem um maior risco de lesão, você deve pensar que isso pode aumentar o risco de que você sofra de tendinite patelar. Porque tendo maior tendência, você deve separar parte de sua semana para se concentrar no fortalecimento deste tendão.

Ou talvez você faça muito exercício para ombros, colocando seu manguito rotador em risco. Novamente, porque você tem bom senso e não quer perder nenhum treinamento devido a lesões, você precisa gastar apenas uma pequena quantidade de tempo a cada semana fazendo algum trabalho de pré-habilitação para seus ombros, aproveitando o tempo para fortalecê-los e torná-los mais resistente às lesões.
Tudo se resume ao fato de que todos nós sabemos que devemos fazer coisas para reduzir o risco de lesões, mas sempre pensamos: “isso nunca acontecerá comigo”. Bem, agora você pode ter uma ideia se isso é verdade ou não, o que pode ter um efeito motivador muito forte para que você faça os exercícios adequados para se proteger de lesões.

É isso que você está buscando? Então entre no site e invista no teste que vai mudar seus resultados:

Ou se você é médico, nutricionista, ou educador físico, saiba mais sobre nosso programa de parceria:

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly